Com novos conteúdos, rio2c propõe a desaceleração, o consumo inteligente e o encontro presencial como bases temáticas da edição de 2022.

De volta à Cidade das Artes de 26 de abril a 01 de maio deste ano, evento reestruturasse com onze palcos segmentados e celebra uma década de fundação do
RioContentMarket, braço de negócios do audiovisual e embrião do que é hoje o maior
encontro de criatividade da América Latina

Diante de um dos períodos mais desafiadores para a humanidade, quais são os
caminhos para a renovação e o crescimento dos mais diversos setores da indústria
criativa no mundo? Sempre conectado com as tendências dos mais variados
mercados desde a sua concepção, o Rio2C volta em 2022 apostando na
desaceleração – ou slow content – e no consumo inteligente como fios condutores da
próxima edição, que acontece na Cidade das Artes, de 26 de abril a 01 de maio.
Mesmo com a ampliação de eventos exibidos virtualmente durante a pandemia, o
Rio2C insiste em preservar a sua essência de ser um lugar de encontro, de troca de
experiências e de fomento de ideias in loco.

“A oferta de conteúdo virtual é uma realidade que vai estar cada vez mais presente,
mas nós acreditamos no encontro presencial, nas conversas que acontecem nos
intervalos das atrações e na imersão do público nos conteúdos apresentados. O que
a gente mais ouve nos corredores do evento são os próprios artistas, os criadores e
os produtores afirmando a loucura tão grande que vivem no dia a dia, sem tempo
para respirar, encontrar os parceiros e amigos em um ambiente sem pressão. Isso
está totalmente ligado à questão do slow content e do consumo inteligente que vêm
como pano de fundo do conteúdo que estamos propondo para essa edição. A
experiência de pausar a rotina diária para mergulhar num universo de conteúdos e
discussões inspiradoras, lado a lado com algumas das mentes mais interessantes da
indústria, é inigualável e irreplicável digitalmente.”, reflete Rafael Lazarini, criador
do maior encontro de criatividade da América Latina, que celebra também em 2022
os dez anos do RioContentMarket, evento de mercado do audiovisual precursor do
Rio2C.

Mesmo após o hiato forçado de dois anos de pandemia que interrompeu as
atividades ao redor de todo o planeta, o evento continua investindo no seu formato
multidisciplinar – dividido entre os pilares conferência, mercado e festival –,
contemplando novos temas e seções em sua programação. Se a última edição, em
maio de 2019, movimentou mais de R$ 250 milhões a partir de uma extensa grade
de palestras, shows, atividades e encontros de negócios voltados para um público
de mais de 25 mil profissionais e entusiastas dos segmentos de tecnologia, ciência,
audiovisual, música, games, mídia e marcas, a edição de 2022 terá uma série de
novidades.

Inteiramente repaginada, a estrutura interna do evento será composta por onze
palcos separados por assuntos, de modo a receber os novos conteúdos da
programação e para melhor atender aos interesses específicos do público (veja a
lista de espaços e respectivas abordagens ao fim do texto).
Além dos setores de educação e mercado literário, já incluídos na programação do
evento presencial que terminou não acontecendo em 2020, o próximo Rio2C
incorporará outros campos da indústria criativa como arquitetura, design, moda e
gastronomia, com foco nos processos e nas tendências das áreas aplicados à vida
cotidiana. A pauta do evento contemplará ainda assuntos urgentes para a sociedade,
como questões relacionadas à sustentabilidade, diversidade e à agenda ESG
(Environmental, Social and Governance ou, em português, Ambiental, Social e
Governança), bem como as tendências que redefinirão o trabalho e as empresas,
com foco especial no idadismo, empreendedorismo, educação continuada (lifelong
learning) e nas profissões do futuro.

“Não estamos inventando a roda, todos esses temas estão aí e vêm sendo muito
falados, mas queremos trazê-los para serem discutidos debaixo do mesmo guardachuva. Se a última década foi um momento de reinvenção dos departamentos de
marketing das empresas, acredito que agora veremos mudanças profundas nos
departamentos de recursos humanos. As empresas terão um desafio gigante pela
frente porque a administração de pessoas vai ser quase um trabalho artesanal. Os
profissionais têm necessidades diferentes, desejos diferentes, estilos diferentes.
Com esses movimentos da pandemia, em que foram estabelecidas novas formas de
trabalhar e de produzir, as formas de remuneração e de incentivo serão cada vez
mais customizados. O que motiva uma pessoa não necessariamente motiva o
parceiro ali do lado”, pondera o criador do Rio2C.

“Como a sociedade vai se adaptar a uma nova realidade em que as pessoas vivem
cada vez mais e o mercado corporativo busca talentos cada vez mais jovens? Como
fica aquele profissional que aos 40 está em plena capacidade laborativa e já é
enxergado como ‘velho’ para se reposicionar no mercado tradicional? O caminho é
o empreendedorismo? Mas como empreender sem ter um conhecimento ou uma
experiência prévia? A saída seria então “voltar para a escola”? As pessoas precisarão
se reciclar continuamente e desenvolver novas habilidades? A ideia é colocar essa
discussão em pauta e, mais uma vez, ser bastante provocativo, assim como quando
lançamos o Brainspace e tivemos a sensibilidade de perceber que a saúde mental
era uma questão urgente”, aposta.

Com a maior abrangência de conteúdo e o intuito de atrair um público ainda mais
diversificado, o Rio2C passa a comercializar ingressos diários, uma vez que antes
havia somente a opção da compra de um passaporte para todos os dias de evento.
“O objetivo é tornar o evento mais democrático. O agrupamento de conteúdo vai na
linha de criar esses novos espaços temáticos para aumentar a participação do
público em geral. Expandimos também a nossa visão de curadoria, que agora fica
mais dinâmica, fluida e colaborativa”, afirma Lazarini.

Embora a pandemia não seja o tema matriz da conferência, seria impossível não
abordar no evento os seus efeitos na indústria criativa, bem como as alternativas e
soluções buscadas para contorná-los.

“Não podemos colocar óculos cor-de-rosa e fingir que não existiu a pandemia, mas
não queremos abordá-la como um tema. O que queremos entender é como a
pandemia transformou as formas de se criar, pensar e produzir, e os impactos
dessas transformações a médio e longo prazo”, explica.

Estabelecida dentro de algumas das áreas mais afetadas pelo covid-19, a de eventos,
de entretenimento e da indústria criativa propriamente dita, o Rio2C também
precisou buscar novos caminhos para conseguir se sustentar ao longo do período.

“A pandemia teve um impacto não só na indústria de eventos, mas na indústria
criativa como um todo. Os setores nos quais nos encaixamos, principalmente o do
audiovisual e o da música, passaram por um momento complicadíssimo. Precisamos
fazer uma ginástica muito grande para manter o evento de pé. A pandemia chegou
forte no Brasil a menos de dois meses da realização do evento, os patrocinadores já
estavam todos fechados conosco e foram muito parceiros durante todo o período.
Assim, o que conseguimos fazer basicamente foi congelar o projeto. Ou seja, o
projeto que estamos entregando agora em 2022 é uma versão atualizada e turbinada
daquele projeto de 2020 que não foi realizado”, conta.

Em 2020, na janela em que seria realizada o evento presencial, o Rio2C exibiu uma
versão inédita e compacta do evento com conferências e rodadas de negócios em
formato virtual, e na sequência lançou uma nova marca, o @live, com uma trilogia
de novos programas veiculados no site e canal de youtube da marca.

A primeira foi uma série de oito episódios intitulada “Pretérito do Futuro”, em que
o empreendedor e futurista Guga Stocco revisitou os futuros, tendências e novas
tecnologias levantadas em edições anteriores do evento presencial. Em seguida,
exibiu o programa “Você não Sabia”, em paceria com o “tiktoker” Antonio Miranda,
onde ao longo de dez episódios de curta duração, foram abordados de maneira
didática, leve e divertida, temas sobre tecnologia, ciência e educação. Para encerrar
a safra, atualmente está em produção a série de 40 episódios “Diálogos”, um batepapo informal com importantes nomes da indústria criativa das áreas do
audiovisual, música, games e inovação, que pretende já servir como degustação do
conteúdo que será apresentado no evento presencial em abril.

“Tivemos um retorno extremamente positivo da versão online do evento de 2020,
inclusive alguns dos projetos inscritos foram negociados no mercado virtual. Depois,
entendemos que não fazia mais sentido continuar realizando o evento no formato
virtual, uma vez que o grande diferencial do Rio2C reside no presencial, na potência
dos encontros, no abraço e no aperto de mãos. Decidimos então investir no
desenvolvimento de conteúdos relevantes, em formatos e linguagens diferentes,
para manter o público informado e conectado, enquanto a nossa nave mãe, o Rio2C
presencial, não estivesse de volta”, afirma.

A edição deste ano tem patrocínio máster da Petrobras e, pela primeira vez, terá
patrocínio do Banco do Brasil, que se junta à Ambev, com a marca Draftline.
PALCOS
GlobalStage – On2Off
O GlobalStage será um palco com apresentações das tendências que irão impactar o
nosso futuro. Serão palestras e debates com renomados especialistas da cena global
de inovação e criatividade, dividindo espaço com grandes nomes brasileiros do
setor.
Brainspace
Espaço dedicado a temas únicos sobre cérebro, criatividade e descobertas incríveis
que surpreendem o público, o Brainspace é a ciência transformada em
entretenimento.
House of Brands
A House of Brands é o palco para quem quer mergulhar no universo das marcas,
conteúdo, marketing, mídia, publicidade e propaganda.
Storyvillage
O Storyvillage é o espaço que reverencia a arte da criação, da narrativa, dos roteiros
e da composição.
Future U
O Future U abordará temáticas e tendências sobre o futuro do trabalho, das
empresas e da educação, com foco especial no idadismo, empreendedorismo,
educação continuada, novas habilidades e profissões do futuro.
Biodom
O Biodom abordará as tendências e desafios urgentes de fatores sociais e ambientais
que podem impactar o futuro do planeta. Temas como a agenda ESG, meio ambiente,
energia, diversidade, comunidades e cidades do futuro serão apresentados por
grandes especialistas desse universo.
New Frontier
O New Frontier traz o futuro para o presente, analisando quem está por trás da
tecnologia, mas também como essa mesma tecnologia impacta os seres humanos,
assim como os movimentos disruptivos que mudarão o mundo como o conhecemos.
Cyberstage
O Cyberstage vai celebrar e dissecar a indústria de games e eSports reunindo os
principais players desse universo para falar de temas como metaverso,
criptomoedas, nfts, realidade aumentada, entre outros.
Screening Room
O Screening Room debaterá e estimulará a reflexão sobre o universo do audiovisual,
a partir de temas como plataformas de streaming, alternativas de financiamento e
coprodução, entre outros.
Soundbeats
O Soundbeats discute o show business da música com temas atuais e urgentes como
streaming, lives, direito autoral, empresariamento, turnês e festivais.
PitchingShow
No Mercado de Música, artistas e bandas concorrem para se apresentarem ao vivo
no palco do PitchingShow® diante do público e de uma comissão formada por
nomes estratégicos da indústria – entre produtores, jornalistas e programadores de
rádio e TV do setor –, além de uma plateia de executivos do mercado fonográfico e
do show business.

Informações para a imprensa:
Factoria Comunicação
Vanessa Cardoso (vanessa@factoriacomunicacao.com)
Eduardo Marques (eduardo@factoriacomunicacao.com)

Fechar Menu